TRANSLATE TO YOUR LANGUAGE, RIGHT NOW

DÚVIDAS SOBRE O SURGIMENTO DA NOSSA CIVILIZAÇÃO


Se a cultura humana surgiu na África há cerca de 50 mil anos com a formação do gênero humano, expandindo-se depois para a Ásia e a Europa como foi exposto em uma pesquisa de antropólogos e paleontólogos a partir da descoberta de fósseis, como também de vários instrumentos rústicos, pinturas em cavernas, etc.Surge dúvidas acerca do surgimento de nossa civilização, ao contrário do que nossa  história  mostra, com o despertar da cultura, que indicava a Europa e o Oriente  como sendo o berço das primeiras expressões artísticas.Como fica a veracidade de nossa história cultural?Caminhos novos e abertos para mais investigações!

PARA REFLETIRMOS


Estamos sempre desejando saber das coisas a priori, sem o auxílio da experiência. Isso nos leva a fazer pré-concepções o tempo todo e, assim, fazer julgamentos precipitados Pergunta-se? Será que não estamos o tempo todo pensando de forma equivocada e, isso, não está nos prejudicando em nossos relacionamentos? Conclusão: Estamos pensando erradamente e não nos damos conta!

FALHAS NA COMUNICAÇÃO

Na maioria das vezes, há uma falha na comunicação quando: falamos, escrevemos, ouvimos etc. Isso parece ser inevitável . Penso que a solução para minimizar tal impasse ,será sempre que possível pedir explicações ,porque, o sentido do que está sendo comunicado na maioria das vezes precisa ser melhor esclarecido.

SOBRE A FILOSOFIA EM NOSSAS VIDAS


Podemos afirmar categoricamente que a filosofia está presente em tudo, porque todos nós sempre nos deparamos com perguntas sobre o por quê da existência das coisas, o sentido de nossas vidas, o valor das coisas, o que podemos saber, o que devemos ou não fazer, o que é o Belo. etc. Enfim, ela aborda questões: Ontológicas, Gnosiológicas, Existenciais, Teológicas, Éticas, Estéticas, Biológicas e muitas outras mais. O grande problema é que somos conduzidos a pensar como pensa a maioria, de maneira acrítica, dogmática e não questionamos o por quê disto ou daquilo. Pensar diferente pode causar intrigas e sermos afastados, execrados, porque já há muito tempo impera uma "moral de animal de rebanho" ,como escreveu Nietzsche há mais de 100 anos :"Quem pensa diferente está condenado a ir ao hospício". Podemos afirmar que pensar diferente é enriquecedor e temos que fazê-lo, principalmente atualmente, porque faz-se necessário uma transvaloração dos valores vigentes, com a finalidade de verificar se as nossas vidas estão sendo engrandecidas ou denegridas.

DIFERENÇA E HIERARQUIA


A vida tem vários sentidos e caminhos ,acho que um dos mais importantes é perceber que o engrandecimento humano seja executado através de uma crescente tomada de consciência da diferença entre tudo que existe,todavia, havendo consideração pela hierarquia.

A ARTE DE AVALIAR - INVERTENDO PERSPECTIVAS TRADICIONAIS


"Outrora se dizia de toda moral: "vós deveis conhecê-las por seus frutos"; eu digo de toda moral: ela é um fruto no qual reconheço o solo , a partir do qual ela cresceu"(Frag. Póstumos-1887-89-F.W.Nietzsche).

VISÕES PARA MUDANÇA

Eu te inspiro.
Eu te transmito calmaria.
Eu te ilumino de
luz irmanada
no silêncio,
distante.

Eu te dou forças
até quando estás
à Beira-mágoa.
Eu te deusifico
por nada e somente
por nós.

Assim, torna-te
mais forte, resoluta.
Desafiando labirintos,
encontrando a saída
de um tormento
que em breve
cessará.

LIBERDADE - O Si Mesmo e o Outros


Quando as coisas que fazemos, pensamos,etc. é condicionado pelo poder dos outros, podemos dizer que não somos livres. Quando o que pensamos e fazemos nos transforma, fluindo completamente a partir de nós, podemos afirmar que somos livres. O Si Mesmo é a nossa auto expressão e autodeterminação, sendo considerado a essência de nossa liberdade. Quando o Si Mesmo está sob sujeição, não há ação e sim paixão e passividade. Quando o si mesmo é a fonte de movimento, ação que gera mudança temos a liberdade para pensar, se transformar e agir com autonomia. Podemos fazer uma análise e constatar que a política em nosso país, do modo pelo qual é executada, há uma tendência para fazer com que as pessoas tornem-se dependentes e percam cada vez mais a liberdade.

O ALERTA DE KANT


"Não se ensina filosofia, se aprende a filosofar!”. Essa máxima de Kant foi ,sem dúvida, muito esclarecedora e ,também ,antisofista no sentido de nos alertar para não cairmos ingenuamente nas mãos de falsos mestres, muitos deles, "operários da filosofia" como  Nietzsche denomina os professores de filosofia!

CETICISMO NECESSÁRIO


David Hume,escreveu em seu principal livro , entitulado: Tratado da Natureza Humana " só podemos ser filósofos sobre princípios céticos". Onde podemos concluir que o espírito dogmático é anti-filosófico por excelência, porque reduz a multiplicidade do Mundo da Vida a um único princípio que poderia explicar todas as coisas, matando exatamente o livre exercício do pensar e, por consequência, a Filosofia.

EDUCAÇÃO OBSOLETA


A nossa Educação tradicional , muito formal,está totalmente obsoleta e,portanto está ultrapassada porque raramente inclui instruções sobre como aprender novos modos de aprendizado , como melhorar efetivamente a memória,como aumentar a criatividade,etc.

A ARTE DE AVALIAR - INVERTENDO PERSPECTIVAS TRADICIONAIS

Para Nietzsche,é necessário um solo firme a priori para a transvaloração, o que por sua vez , inverte as tradicionais perspetivas que leva em consideração as consequências, "os frutos"."Outrora se dizia de toda moral: "vós deveis conhecê-las por seus frutos"; eu digo de toda moral: ela é um fruto no qual reconheço o solo , a partir do qual ela cresceu"(Frag. Póstumos-1887-89-F.W.Nietzsche)

O GRANDE DISCERNIMENTO DE W. BLAKE

As canções de inocência e experiência de Blake (1794) sobrepõem o mundo inocente e pastoral da infância contra um mundo adulto de corrupção e repressão; enquanto poemas como "o cordeiro" representam uma virtude de mansidão, poemas como "o tigre " mostra oposição, forças mais negras. A obra como um todo explora o valor e as limitações de duas perspectivas diferentes no mundo. Muitos dos poemas caem em pares, de modo que a mesma situação ou problema é visto através da lente da inocência em primeiro lugar e depois sob a ótica do experimentar. Blake não se identifica totalmente com qualquer visão; a maioria dos poemas são dramáticos, quer dizer, na voz de um orador que não seja o próprio poeta. Blake está fora da inocência e experiência, em uma posição distante da qual ele espera ser capaz de reconhecer e corrigir as falácias de ambos. Em particular, ele se opõe à autoridade despótica, à moralidade restritiva, à repressão sexual e à religião institucionalizada; seu grande discernimento está na forma como esses modos separados de controle trabalham juntos para silenciar o que é mais sagrado nos seres humanos.

PARA SER MAIS


A cada manhã quando levanto.
Penso em um plano para o dia.
O amor está na base,
com a devida proporção
em várias perspectivas.
Espalho o Amor que vai
fazer-nos errar menos
e ser mais.

Em breve estarei com você,
estaremos rindo,
mudando o tempo em nossa direção.
Chegando a um acordo com as
expressões estabelecidas.
A atração veio até nós!
Vamos segui-la em direção
a uma nova liberdade encontrada!


UMA NEFASTA CONSEQUÊNCIA DO CAPITALISMO DEVASSO

Podemos afirmar que a falta de trabalho é criada,artificialmente, pelos que tem interesse em dispor de uma enorme reserva de mão-de-obra para aceitar qualquer condição que beneficie qualquer tipo de capitalismo desenfreado.

MUDANÇAS


Passando por mudanças
nos meus sentimentos,
não serei mais o mesmo.
Algo que você fez me tocou.
O amor colapsou,
como se você não se importasse.

Quando me olho no espelho
Vejo apenas a metade.
Todo calor que te dei
está esfriando.

E tudo que sinto são mudanças.
Somente pelo amor e com amor,
elas acontecem.
Faz nos tirar do chão e girar,
levando-nos a mudanças.

NOVOS DIAS


Está tudo bem!
Os dias de dança
estão voltando.
De novo na estrada
uma nova música
faz-me bem e
alegre novamente.

Sempre faço o
melhor que posso.
Chegou o momento de
uma pausa.
Plantar novas sementes,
para espalhar as raízes
de minha liberdade.

RENOVAÇÃO


A cada dia
a vida nos renova.
A amizade , o amor,
ressurge de modo inusitado,
superando tentativas vis.

A atração nos renova
para novos encontros.
Livres estaremos
para novos anseios.

Sem empecilhos,
brotaremos renovados
para mais uma comunhão.
Celebrando novos momentos
descomunais.

REALIZAÇÕES


Realizar nossos projetos
de liberdade e felicidade.
Ter lazer, diversão,
vivendo os sonhos
em uma nova Aurora.

E ao entardecer
celebrar novamente
com júbilo e histórias
pra contar.

Adentrar a noite,
iluminados e fazer
a sagrada comunhão,
sorrindo de felicidade
em estado de puro
êxtase.

Um estado mais elevado,
libertando das profundezas
os nossos amorosos corações.
Tão celestiais quanto as estrelas
cintilantes que há no âmago
de quem deseja o bem,
e ama de todo coração.



O AMOR


O tema sobre o amor,sempre inspirou poetas e filósofos de todas as épocas. "Amar é regozijar-se" escreveu Aristóteles, na Ética a Eudemo.Podemos afirmar que o amor está relacionado intrinsecamente com a felicidade. Para Nietzsche, o amor nos faz amar a vida " Amamos a vida não porque estamos acostumados a viver, mas porque estamos acostumados a amar"(Frag. Póst.1882). Para Platão, o amor é condição sine qua non da felicidade."A nossa espécie só poderia ser feliz com uma condição: realizar as nossas aspirações amorosas"(Banquete).Para P. B. Shelley ,o amor é "aquela poderosa atração que nos encaminha a tudo aquilo que nós concebemos, ou temos , ou esperamos além de nós mesmos"(Sobre o amor). De todas as definições a mais bela, só poderia ser de um poeta do romantismo alemão, Friedrich von Hardenberg, conhecido por Novalis," O amor é a finalidade última da história universal, o amém do universo"(Fragmentos).

O ANTI-ILUMINISMO DE PASCAL

Blaise Pascal, muito antes da "Modernidade" já duvidava do poder absoluto da nossa razão. Nesse trecho de sua obra: Pensamentos, ele deixa claro essa dúvida.
“Conhecemos a verdade não apenas pela razão, mas também pelo coração. É desta última maneira que conhecemos os primeiros princípios, e é em vão que o raciocínio, que não toma parte nisso, tenta combatê-los." (Pascal, Pensamentos 110).

ESTAMOS CANSADOS DESSA VELHA POLÍTICA

" Já chega de declarações cúmplices do realismo político quando tudo, à hora atual, exige um nominalismo praticado pelos nietzscheanos, pois eles sabem que as palavras não são atos,os verbos não são gestos,nem a retórica é uma política "(Michel Onfray in: A política do rebelde p.173 ,Ed. Instituto Piaget).

AS TRÊS FORMAS ESTÉTICAS DE MAU OLHADO,SEGUNDO NIETZSCHE -


No Crepúsculo dos Ídolos e, principalmente, nos Fragmentos Póstumos, Nietzsche detecta o que é para a Estética uma forma errada de avaliação sobre o Belo, onde as coisas são consideradas, em si e por si mesmas "belas, boas e verdadeiras”, quer dizer, separadas do real, vejamos a citação:” Quando um ideal é separado da realidade, então o real é degradado, é empobrecido, é difamado.” O belo pelo amor ao belo", "o verdadeiro pelo amor ao verdadeiro",” o bem pelo amor ao bem" - essas são três formas de mau olhado em relação ao real”. ( Nietzsche, Fragmentos Póstumos, §194- 1885-89) .No Crepúsculo dos Ídolos : IX -§24 ,ele considera a arte " o maior estimulante para a vida" , desse modo, seria um equívoco , um "mau olhado", "uma ótica de pessimista" considera-la sem uma finalidade separada da vida e sobretudo como uma finalidade em si mesma, presa à moral.

CONHECIMENTO E VERDADE SEGUNDO NIETZSCHE


O conhecimento quando é concebido como sendo uma correspondência entre crença e realidade é a nossa “maior fábula”, no entanto, “ a crença em sua verdade” é necessária para a vida como um todo. Assim, Nietzsche nos apresenta uma noção prática entre verdade e conhecimento em termos da “vantagem” que as crenças pode nos conferir a fim de satisfazer as nossas necessidades vitais. Todas as crenças são “erros”, no entanto, nesses erros podemos distinguir crenças “ sem as quais não poderíamos viver” e assim, “ podemos falar em verdades”, haja vista que o que determina a “verdade”, é o valor das crenças “para a vida” –“vida” sendo compreendida como “vontade de potência”.

ETERNA RECORRÊNCIA

Estamos nos 
reencontrando 
novamente.
Mas não somos
mais os mesmos!


A eterna recorrência cósmica
Nos atrai e nos afasta
Para vivermos o eterno
jogo existencial.


Celebremos, então!
Vida é celebração, aventura
criação de destinos.
Culpa nenhuma há!
Total inocência do devir,

aniquilando todo espírito
de vingança.


Abrindo caminhos para
novas possibilidades.
Um arco-íris nos espera
Sinalizando a ultrapassagem!

NIETZSCHE, UM FILÓSOFO SEMITA

Nietzsche era inimigo do nacionalismo e o considerava uma neurose da Europa de seu tempo. Ele preferia escritores franceses tais como: (Pascal, La Rochefoucalt, Voltaire, Vauvenargues, Sthendal). Os poucos alemães que Nietzsche admirava eram: Goethe, Schiller, Schopenhauer e o "jovem" Wagner porque esse, depois de ter-se declarado antissemita e nacionalista, Nietzsche afastou-se dele e escreveu: "O caso Wagner" e "Nietzsche contra Wagner". Para Nietzsche, existiam duas principais imbecilidades alemães: a anti-francesa e a anti-semita. Podemos afirmar que Nietzsche foi um filósofo semita. É verdade que ele rejeita as crenças do judaísmo ortodoxo, assim como as do "cristianismo", que na realidade para ele deveria ser chamado de paulinismo. Em verdade, o povo judeu, enquanto comunidade humana  inspirava-lhe uma grande admiração.

O ANTI-PLATONISMO DE SPINOZA

Para Platão a vida é uma preparação para a morte , haja vista que para ele, vivemos em um mundo de sombras que terminará com a morte e iremos ascender ao mundo das ideias. Para Spinoza a filosofia de Platão é uma filosofia para escravizar o homem ainda mais e ,mantê-lo nas trevas da escravidão , porque o faz refletir não sobre a vida mas sobre a morte.Vejamos a citação de Spinoza:" O homem livre em nada pensa menos do que na morte, e seu saber não é uma meditação sobre a morte, mas sobre a vida".(ÉTICA, 4 , Prop. 67).

VÃS DISPUTAS DE TESES

Para o filósofo Norte Americano Richard Rorty, a filosofia "morre" quando há apenas  disputas de teses, porque quando uma ideia se impõe, o debate acaba no silêncio, dissolvendo-se no vazio. Para ele, o objetivo da filosofia é sempre manter  aberto o debate que deixa acesa uma luz, através de uma conversa onde não há uma imposição de perspectivas.

SEJAMOS DUROS!

Friedrich von Hardenberg ,mais conhecido como Novalis,um dos maiores poetas do Romantismo Alemão, escreveu:
"Um criminoso não pode queixar-se de injustiça ,quando o tratam dura e desumanamente. Seu crime foi um ingresso no reino da violência, da tirania. Medida e proporção não há nesse mundo - por isso a desproporcionalidade da reação não deve estranhar-lhe."(NOVALIS,Frag. Ed. Iluminuras)
 Esse pensamento contém uma ética e uma "estética" que, hodiernamente, nos causa estranheza porque vivemos em uma época em que prevalece uma "moral de animal de rebanho".Ao adentrar no mundo do crime: "medida e proporção não há nesse mundo". Desse modo, faz-se mister erigir esse pensamento e considerá-lo como um pensamento de uma estirpe de homem nobre , forte.

ECONOMICISMO PARALISANTE

Todas as coisas estão em movimento; portanto, tudo o que congela ou fixa uma força, de um modo permanente, deve ser considerado negativo, segundo uma assunção radicalmente heraclitiana. Desse modo, devemos assumir nosso "devir revolucionário" contra a fixidez do economicismo!

ELEVAÇÃO INTERIOR

Libertem vossas mentes para
os segredos de vossas almas!
Voando alto novamente,
transcendendo equívocos,
superando obstáculos.
O autoconhecimento nos conduz
a efetivação dessa libertação.
Fazendo-nos agir 
no tempo oportuno(Kairós).

REFUTAÇÃO DE TEORIAS CIENTÍFICAS SEGUNDO KARL POPPER

Karl Popper propôs um mecanismo de falsicabilidade como ferramenta lógica para refutar teorias científicas, que consiste em: Um enunciado ou uma teoria tem de serem refutados empiricamente para serem científicos. Para ele, uma teoria científica autêntica deve ser ousada e ir além dos dados empíricos disponíveis, desde que seja refutável. " Admitirei certamente que um sistema só é empírico ou científico se for suscetível de susbmeter-se  a testes experimentais. Estas condições sugerem que a falseabilidade e não a verificabilidade de um sistemaque é preciso tomar como critério de demarcação. Em outros termos, eu não exigiria de um sistema científico que pudesse ser escolhido, uma vez por todas, numa acepção positiva , mas exigiria que sua forma lógica fosse tal que ele pudesse ser distinguido, mediante testes empíricos, numa acepção negativa: um sistema que faz parte da ciência empírica deve poder ser refutado pela experiência" (Karl Popper, in: A lógica da pesquisa científica)

EXPLICAÇÃO DEDUTIVO-NOMOLÓGICA

Um enunciado qualquer é considerado dedutivo-nomológico, quando não se refere a nada particular,contingente e, expressa uma lei fundamental ou deriva dela em conjunção com outros enunciados teóricos.

O CRITÉRIO DE NELSON GOODMAN

O critério de Nelson Goodman para distinguir uma verdadeira lei de uma simples generalização acidental surge porque um enunciado deve implicar ou caracterizar a afirmação de condicionais contrafactuais, quer dizer, com um enunciado condicional no qual intervém a noção de possibilidade. A análise de condicionais contrafáticos não é, segundo ele, um mero exercício gramatical. Da interpretação de condicionais contrafáticos dependem definições satisfatórias da lei científica da confirmação e dos termos disposicionais.

CAUSAS NÃO ! CONSEQUÊNCIAS

Na grande maioria das vezes, tudo o que acontece conosco são consequências.

AUTENTICIDADE NECESSÁRIA

Se considerarmos que ,para a autenticidade de nossas vidas , esse mundo como o único , não vale ficar pensando sobre vidas passadas ou futuras, tendo em vista que isso são formas de escapismo e de "sono".A nossa busca da verdade nos requer estar sempre alertas ,sempre no caminho .O despertar ,para um estado numinoso deverá ser atingido nessa vida, nem que seja no momento de nossa morte.

MUDANÇAS NECESSÁRIAS

O caráter de mudança constante da vida nos faz sofrer se nos apegamos às coisas e não permitirmos que as mudanças ocorram. Quando aceitamos essa perpétua mudança, nós mesmos nos sentiremos mais confiantes, enfrentando na medida do possível, o que der e vier.

TRANSCENDÊNCIA E IMANÊNCIA

Essas categorias filosóficas não devem ser concebidas de um modo estritamente dicotômico e excludente, uma vez que, sem haver uma transcendência na consciência, indo além da imanência, a própria imanência não seria concebível. Do mesmo modo o nosso pensamento é transcendente e imanente ao mesmo tempo, ele está na imanência e na transcendência ao mesmo tempo, tal como Spinoza concebe a Substância ou Deus sive Natura, ou seja, como Natureza Naturante e Naturada. Deus não é uma causa que se separa dos efeitos após tê-los produzido, mas é causa imanente e eficiente de seus modos e se expressa por eles e eles a expressam.

SILENTES VIVÊNCIAS

Em verdade, todos os nossos grandes momentos não podem ser descritos através da linguagem, nem muito menos compartilhados de modo objetivo.

SEM REMORSOS

É melhor inventar um renovado amanhã com novos sonhos e objetivos, do que ficar pensando se o que aconteceu "ontem", foi o que realmente deveria.

CONFLITOS INÚTEIS


Na maioria das vezes, mesmo que estejamos com razão, é sempre bom evitar discussões. 
A verdadeira sabedoria ri de toda presunção e diz: “apenas permanece sábio aquele que sabe se calar!" Afinal, é perda de energia, de saúde e de tempo, dialogar com espíritos dogmáticos.


ATUALIDADE DO ILUMINISMO – AUTONOMIA

A atualidade que podemos conceber ao Iluminismo, se relaciona com a autonomia e sem ela não se pode filosofar  , estando desse modo, intrinsecamente ligada ao nosso tempo porque buscamos sempre o SAPERE AUDE, “pensar por si mesmo”,"ousar saber". A autonomia de pensamento revolucionou tanto a vida do indivíduo, quanto das sociedades. O combate pela liberdade de pensamento continua atual, isto é, aceitar que o homem seja fonte de sua lei é considerada uma proposta imortal. Exigir autonomia implica em uma transformação constante das sociedades políticas em um busca para que haja uma "humanidade universal". Enfim, se desejarmos encontrar um apoio no pensamento Iluminista para enfrentar nossas atuais dificuldades temos que atingir a autonomia no pensar e no agir, em um movimento que nunca para.







CONFUSÃO ENTRE CAUSA E EFEITO - CONSEQUÊNCIAS

Nietzsche, em seu livro Crepúsculo dos Ídolos na seção (Os quatro grandes erros) Cap.2, nos adverte para um erro "perigoso" que se estabeleceu em nossa cultura: confundir o efeito (consequência) com a causa. Ele inverte a nossa concepção tradicional de pensar, dando como exemplo o modo errado
de pensar dos pregadores religiosos e legisladores morais que dizem: “O luxo e o vício levam uma estirpe, um povo à ruína, a decadência, etc.". O contrário é que é verdadeiro!Quando um povo, uma sociedade, degenera fisiologicamente, seguem-se como efeito, (consequência) o luxo e o vício,segundo a citação: Minha razão restabelecida diz: quando um povo sucumbe,quando degenera fisiologicamente,tal fato tem como consequência o vício e o luxo(ou seja,a necessidade de estímulos cada vez mais fortes e frequentes,como os conhece toda a natureza esgotada.)"(C.I.p.55Guimarães-Ed.Pt.)

A VIDA COMO VALOR FUNDAMENTAL

Diante da impossibilidade de afirmar categoricamente a existência ou a não existência de Deus, Nietzsche proclama que um caminho para a "salvação" seria sair do impasse  do niilismo passivo ,através da afirmação incondicional da vida de modo ascendente, intenso,exuberante,fecundo, através da constante criação e transmutação de valores."A vida mesma nos obriga a instaurar valores, a vida mesma valora através de nós quando instauramos valores..." (Nietzsche, Crepúsculo dos Ídolos, Moral como Contranatureza, §5, p.42, Ed. Relume Dumará).

FALHAS NA COMUNICAÇÃO


Há sempre falhas na comunicação quando: falamos, escrevemos, ouvimos, etc. Isso parece ser inevitável , contudo, tenho a firme convicção que a solução para minimizar tal impasse ,será sempre que possível pedir explicações e outras coisas mais, porque o sentido do que está sendo comunicado precisa ser mais bem esclarecido para haver uma melhor compreensão, haja vista que as palavras, muitas vezes, têm múltiplos sentidos. O que está sendo dito não é o que está sendo dito, o que está sendo escrito não é o está sendo escrito, o que está sendo ouvido não é o que está sendo ouvido. Há sempre algo além, para ser interpretado e reinterpretado.


CONFUSÃO E OPOSIÇÃO BANAL

A cultura de comunicação de nossa sociedade através do excesso de informações foi invadida pela suspeita que gerou uma "paranoia", impossibilitando uma compreensão eficaz do que, realmente, está acontecendo. Atualmente, temos teorias para tudo e respostas banais que aparentemente respondem a essas teorias. A confusão e a oposição banal continua obnubilando mentes incautas. Guardemo-nos, disso!

NIETZSCHE : SUJEITO, CONHECIMENTO

Nossos pensamentos, sentimentos, desejos, etc., não existem separadamente em domínios exclusivos. O conhecimento é um "horizonte" mutável de forças que nós  transmutamos e que se corporificam em nós  através da vontade, fazendo de nós seres pensantes que valoram e dão forma a esses múltiplos impulsos. Para ele, o conhecimento deveria ser uma atividade que servisse  à vida , não possuindo qualquer legitimação transcendente. São as necessidades de conservação e preservação da espécie humana, que através de metáforas cria um mundo antropomórfico a nossa imagem e semelhança.
"O sujeito(ou, falando de modo mais popular , a alma) foi até o momento o mais sólido artigo de fé sobre a terra, talvez por haver possibilitado à grande maioria dos mortais, aos fracos e oprimidos de toda a espécie, enganar a si mesmos com a sublime falácia de interpretar a fraqueza como liberdade, e o seu ser-assim como mérito(Nietzsche, GM I,§13, p.37 , Cia das Letras).
 A ideia de um sujeito como substância pensante, que produz conhecimento é uma ficção que esconde uma pluralidade de forças em luta,onde a linguagem reduz essa multiplicidade efetiva, criando a noção de um sujeito, levando a uma simplificação e a consequente má compreensão de sua filosofia, ao invés de considerar o "sujeito" como um "efeito", uma perspectiva, e assim assumir a multiplicidade complexa da vida como um "jogo de forças".

COMPROMETIMENTO DOGMÁTICO DUALISTA

Nossa cultura foi ,completamente ,comprometida com o pensamento dogmático da existência de um além mundo (Platonismo), onde prevalece uma pré-reflexão , um pré-juízo da visão do eu como substância: fixa , eterna, indo ,inclusive, até    a própria  experiência da nossa individualidade , porque acreditamos possuir um eu, concebido como unidade imaterial.Temos como consequência disso, uma desvalorização do mundo efetivo. Segundo Nietzsche: " Para que o além, senão  fosse um meio de denegrir o aquém ?..."(NIETZSCHE, C.I. , §34, p.83. Cia das Letras).

OBSCURECIMENTO DO QUE ,REALMENTE , ESTÁ ACONTECENDO

O excesso de informações gera uma confusão no pensamento crítico das pessoas, conduzindo-as a ficar a margem do que está, realmente, acontecendo no Mundo, tornando-as meros expectadores de um "Teatro Sombrio". Seguindo a crítica de Nietzsche a modernidade, Heidegger aborda esse tema em uma de suas palestras, vejamos o texto: “vivemos numa época estranha, singular, inquietante. Quanto mais a quantidade de informações aumenta de modo desenfreado, tanto mais decididamente se ampliam o ofuscamento e a cegueira diante dos fenômenos. Mais ainda, quanto mais desmedida a informação, tanto menor torna-se cada vez mais cego e transforma-se num calcular sem visão, cuja única chance é contar com o efeito e, possivelmente, com a sensação”. "(Heidegger,Seminários, p. 109, Ed. Vozes, 2009). Sabemos que essa desmesura no tocante as informações foi uma das consequências da fragmentação das ciências ocorrida no início do Séc. XIX com o Positivismo, onde foi excluída a Metafísica , quer dizer, qualquer investigação centrada na essência das coisas, impossibilitando ,desse modo, ao pensamento ir não mais além do que relações e leis, tornando o homem perdido no mundo dos Entes, esquecendo o Ser, perdendo-se na inautencidade.

PARA O ALTO

Oremos e vigiemos, a todo o momento, sempre!
Sejamos dignos da glória de Deus, da Vida, etc. não importa o nome, sou nominalista!
Vivamos pelo bem que possamos fazer.
Fazendo bem para estarmos bem.
Iluminando a nossa consciência cada vez mais. Afinal, como disse Nietzsche, ela não é uma "grandeza fixa", podemos expandi-la, através de vários métodos. Não há um caminho, há caminhos múltiplos!
Para o Alto. Alpa, Alpa!